Durval Lelys Tavares, soteropolitano nascido em 6 de dezembro de 1957, é arquiteto de formação e construiu uma das carreiras mais sólidas na história do axé. Apesar de sua formação acadêmica, desde os oito anos mostrava talento para música, participando de cursos de violão clássico e sendo membro da Escola de Música da Universidade Federal da Bahia (UFBA).
Paralelamente à sua carreira na construção civil, fundou o bloco e banda Pinel, atuando como cantor e compositor principal. No entanto, foi em 1987 que sua vida e carreira tomaram uma nova direção ao criar o grupo Asa de Águia, que se tornaria uma instituição no cenário do axé e do Carnaval de Salvador.

Com uma mistura única de ritmos, especialmente do rock com o axé, o Asa de Águia conquistou um lugar de destaque na música baiana, com Durval como o rosto da banda, sendo cantor, guitarrista e compositor de muitos de seus sucessos. Hits como “Bota pra ferver”, “Xô Satanás”, “Dança da Manivela” e “Quebra Aê” garantiram sua popularidade e estimou-se que tenham vendido mais de cinco milhões de discos ao longo da carreira.
Além da música, Durval também revolucionou o Carnaval ao criar o famoso abadá, substituindo as antigas mortalhas por uma vestimenta mais prática e confortável. Essa inovação não apenas conquistou os foliões, mas também transformou a indústria da festa, tornando-se uma fonte lucrativa e expandindo o mercado da axé music.

Com aproximadamente 20 discos lançados ao longo de sua carreira, Durval e o Asa de Águia foram pioneiros em entender o potencial do mercado do axé, estabelecendo carreiras que já perduram por quase três décadas.

No Carnaval de Salvador, segue no comando do Bloco Me Abraça.